Controlo de Acesso

Efetua a identificação com códigos PIN.

Um controlo de acessos autónomo muito competitivo, uma vez que não utiliza elementos identificadores externos.

O utilizador introduz o seu código pessoal numérico e, se este estiver introduzido no sistema, será permitido o acesso; caso contrário, será negado.

O administrador do sistema pode introduzir ou remover os vários códigos associados a cada utilizador as vezes que desejar.

Cómodo e seguro: o acesso é controlado através de um cartão de aproximação.

Cada utilizador dispõe de um cartão ou de um chaveiro que, ao aproximar-se do leitor, permite ou nega o acesso.

A leitura é realizada a vários centímetros de distância, transmitindo dados por radiofrequência, o que permite utilizar o cartão até mesmo sem tirá-lo do bolso ou da carteira.

O administrador do sistema pode ativar ou desativar facilmente os cartões, atendendo às necessidades do acesso.

Alta segurança. O utilizador é reconhecido pela sua impressão digital única e irrepetível.

Um leitor capacitivo identifica cada utilizador através da sua impressão digital, permitindo ou negando o acesso, caso essa impressão digital esteja introduzida ou não no sistema.

Uma vez que as impressões digitais são únicas e irrepetíveis em casa pessoa, o nível de segurança deste controlo de acessos autónomo é muito alto.

O leitor incluir um leitor de aproximação para os casos em que a impressão digital não seja reconhecida.

O administrador do equipamento pode introduzir ou remover os dados, de acordo com as necessidades.

Para acesso a garagens.

A radiofrequência é a tecnologia maioritariamente empregada para os acessos a garagens, já que permite manter uma grande distância entre o identificador (que, neste caso, é um telecomando) e o recetor.

Para grandes instalações com diferentes acessos e necessidades complexas.

Os equipamentos centralizados permitem gerir instalações médias e grandes com vários acessos, permitindo a utilização de funções avançadas, como segurança antirretorno, limitação de capacidade ou restrições por grupos ou horários.

Possuem grande capacidade (controlam um grande número de utilizadores) e permitem fazer um registo de incidentes que pode ser posteriormente consultado para controlos laborais ou de segurança.

Juntamente com o controlo de acessos, permitem integrar serviços adicionais, como intercomunicação, alarmes ou automatismos.